sexta-feira, agosto 26, 2011

Série -Incêndios-2011

DO OUTRO LADO DO FOGO


Embarquei,

navego rumo à linha

do equador,

no limite,nada a descobrir,

os pés em cada extremo,

mas por favor,

mantenham-me fora do alcance...

Agora só o por de sol

e o silêncio fazendo sentinelas

com uma espada na mão...

Parte de mim

já é o próprio oceano,

minha insônia é máscula

e já desabotoa os punhais

do meu indefinido juízo...

Libero vendavais e tufões

de orgasmos,

juro profecias inacabadas

e prometo retornar,

barro turgido, lancinante,

sim, estarei de volta

aos empurrões, com má vontade;

completamente desencadernado...


Luciano Fraga

10 comentários:

Braga e Poesia disse...

como o fogo embarca nas palhas e nos ventos e assim solido cresce e morre e morto torna-se novo e tyodo o processo pode se repetir.

MIRZE disse...

Luciano.

Você nunca estará desencadernado. e o fogo é seu espírito de luta.

Beijos

Mirze

Luciano Fraga disse...

Braga, enquanto nevego o fogo varre...Abraço.

PS. vou mandar o material de Nuno, já estou com a boneca pronta.

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga, sendo assim, vou tentar repaginar, beijo.

Ana Lago disse...

Oi Luciano,
Algumas coisas só podem acontencer através do tempo.
Elas apenas acontecem..."o tempo as
transporta".
Algo acontece quando não resistimos,
quando nossos corações se abrem...!

Um abraço carinhoso.

Luciano Fraga disse...

Ana, acontecem através do tempo e muitas não resistem a ele...

O Impenetrável disse...

lindo poema, foi certeiro.

guru martins disse...

...essa é
simplesmente
bonita...

abç

Anna Amorim disse...

Luciano,

Nossas sombra nos revela.

Beijos meus,

Anna Amorim

Luciano disse...

De luciano para Luciano,
Amigo, versos dedilhados em poesias nada frias.
Traçamos o infinito, inimaginável para alguns, guardados em caixas dentro de nós mesmos.
* Gostei de suas imagens e também do que escreve!


Um abraço,