domingo, julho 03, 2011

Ruínas(?) do Recôncavo-Foto-Luciano Fraga-2011

AGORA NÃO HÁ DESCANSO


O que trair?

Evidências,

compêndios?

Tenho cuidado

dos meus desertos,

longe de crenças,

de catecismos e insígnias.

Assumo minha escravidão

desatado do que procrio,

de Índices ou prefácios.

Sigo repleto de lembranças

e sonhos pacíficos.

Nunca saberemos os propósitos

das intenções afluentes...

Não sou cartesiano.

Minha inutilidade

ecoa em zun zun zuns de estribarias

e tudo que afago

é minha estupidez;

tão pitoresca quanto as sombras

de meus carmas e chacais

que chocalham em fogos

e notas musicais desafinadas.

Os dias longos se vingam de mim

com exaltação,

(todos os dias);

à espera de minha bajulação.

Não sei se o pior

é não saber

se me encaminho em direção ao sossego,

ou ao indefinido...


Luciano Fraga

17 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

no final, tudo o que somos é ruínas dos anos todos, de nós mesmos.
abraço, amigo!

Luciano Fraga disse...

Amigo Ribeiro, a vida nunca nos engana, apenas nós mesmos.Abraço.

Braga e Poesia disse...

trair o outro ou a mim?
esta é a questão pois o trair sempre vai acontecer.

MIRZE disse...

Luciano, meu amigo querido!

Nem, adianta! Você não trai, mas atrai com esses poemas, nós que te admiramos em zum zum zuns de estrebaria.

Amei!

Beijos

Mirze

Ana Lago disse...

Oi Luciano,
As estradas tem curvas e estamos sendo preparado para idas com o que nos aguarda a cada curva.
O certo é...rumo á nova reconstrução.
Tudo se inicia no aqui agora,os sonhos morrem primeiro,más não os dsejos.
Sempre...

Ana.

Douglas Vieira disse...

Mestre, o indefinido é comumente muito bem definido.

Belo poema.
Abraços.

Adriana Godoy disse...

A escolha pode ser dolorosa, mas é sua. O caminho que queremos ou pensamos querer forma uma linha tênue entre o que deixamos e o que perseguimos... Poeta querido, você nos encanta com seus enigmas e (des)caminhos...Beijo

Luciano Fraga disse...

Braga,um dos caminhos seria não auto-enganar-se, jamais, abraço.

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga, espero ter o poder de exercer essa atração por amigos e amizades sinceras que são de valor inestimável.Os boatos e zun, zun, zuns é que são terriveis, abração.

Luciano Fraga disse...

Ana, quem sabe o que nos aguarda e quem saberá o que ou quem morrerá primeiro, é a (e)história do ovo e da galinha, quem acertar leva uma bala... de hortelã.

Luciano Fraga disse...

caro Mister, e tudo já existe previamente...definido.abraço.
PS.já concluir a correção, qualquer momento me fale.

Luciano Fraga disse...

Querida Adriana, os enigmas parecem-me que encantam a todos nós, o nó existencialista que precisamos desatar é inexprimível e infindável e o que sempre haverá de sobras são as malditas ou sei lá,as benditas interrogações que nos inquietam e por conseguinte nos salvam do cotidiano, beijão.

Janaina Cruz disse...

Ah, sinta-se feliz, por favor!!!

Pois como ninguém anelas a beleza da poesia...

Amei o ligar, sigo-o com prazer.

Abraços

Mari disse...

e fecha os olhos e contempla a riqueza dentro de ti...
Sao cores recomostas em nuances que somente tu, como artista maior há de pinta-las em teus dias

marcio mc disse...

A felicidade desfila louca e incandescente sem aura nem cara.Muito bom Luciano.

guru martins disse...

...a felicidade
também pode ser
um ato de transgressão...

aql abç

Luciano Fraga disse...

Caros amigos, Márcio, Guru, Mari, Janaina, obrigado pelos comentários e visita, o tempo tem sido curto, desculpem-me a falta de atenção imediata, abraço para todos.