domingo, junho 12, 2011

Almas-Fotografia-Luciano Fraga-2010


O QUE AINDA NÃO TEM NOME

"olho o céu: o abismo vence o olhar..."

F. Gullar

Se estou pelo avesso da lua,

a quem posso culpar baby?

Se ultrapasso

fora da faixa e não escuto

a algazarra das ruas,

não significa que estou

mal comigo, consigo

ou com metade do quarteirão

carcomido.

Se não quero ser o que sou

e não me reconheço catastrófico,

por trás de meus óculos

quem habita assim vulcânico(?)

e transita com imunidade baixa,

busca apenas o reencontro

com o que me resgata.

Não que pretenda passar

a vida e os amores a limpo,

revirar raízes,

retomar fregueses;

as formigas já devoram meu açúcar

e eu contido e pulverizado

vejo a dissolução de minhas espumas

e ouço

entre regimentos e pedidos

(de uns poucos),

pra que eu fique mais um pouquinho...


Luciano Fraga

15 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

em tempos de alheamento de si mesmo a poesia brota amargamente dissoluta sem ignorar as sementes da matriz que fica.
meu amigo, esta foto na máquina do trem me trouxe boas lembranças do nosso recôncavo. eu que já vim de bruaca e alforje para o planalto da conquista, vez em quando sou tomado por uma saudade da minha terra (que tem palmeiras, muitas).
um forte abraço!!!

Braga e Poesia disse...

o que nos deixa mal quando estamos bem?

Ana Lago disse...

Olá Luciano,

Não há qualidade ou energia que não
possa ser convertida para o bem.
Aquilo que pode torna-se ruim,sempre pode torna-se bom,
Aquilo que pode torna-se prejudicial,sempre pode torna-se...
útil.

abraço carinhoso,
sempre, Ana.

Ana Lago disse...

KD meu livro? Hum!!

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Ribeiro,a poesia brota pura e dolorosa, mas as sementes devem preservar a ternura e a humanidade. O Recôncavo é africanamente mágico, adoro este trecho, muito embora o frio do planalto seja adorável.Abraço.

Luciano Fraga disse...

Braga, certamente é o que não tem nome,endereço, nem identidade,a própria indignidade! Forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Ana, "na natureza tudo se cria, tudo se transforma" e muitas coisas incomodam, Abraço.

Luciano Fraga disse...

Ana, livro?A edição foi muito pequena e esgotou-se, talvez numa próxima tiragem.

Adriana Godoy disse...

Luciano, querido poeta, estou no intervalo das aulas e não resisti, vim até aqui e me encontrei com vc, com o mundo, comigo...fique mais, não um pouquinho, mas muito, inteiro e intenso como vc é. Beijo

MIRZE disse...

Luciano!

Nós o queremos eterno.

Pode ser?

Beijos, poeta!

Mirze

Luciano Fraga disse...

Adriana querida, diante de generoso apelo, não há como resistir. Mas é justamente nos nossos bons amigos que encontramos forças para darmos prosseguimento a nossa jornada, nosso apoio e fortaleza, obrigado beijo.

Luciano Fraga disse...

Mirze, obrigado amiga, em seu generoso coração, seria uma honra, felicidades, abraço.

Tarcísio Buenas. disse...

os bons se fodem - rs

;)

buenas!

marcio mc disse...

Admiravel a grandeza dos seus poemas.Grande abraço.

guru martins disse...

...passe bem
ou passe mal
mas tudo na vida
é passageiro
camará...

aql abç