terça-feira, maio 03, 2011

Óleo s/tela- Diana Fernandes

EXPEDIÇÕES E OUTRAS GEOGRAFIAS


O que foi feito do devaneio?

A alegria não é esteio

mas é ansiosa...

Qual o rumo da ventania

que feriu a poesia

escrita no desviver?

O pensamento alavanca!

Pelo vazio dos teus olhos

adivinho a pétala extinta

e a tristeza tem sentido diurno

no seio da noite indômita...

Não quero olhar para trás,

mas coloco as barbas de molho

numa caixa de pandora...

Não há nada que desfaça

a figura do amor tresloucado,

nem mesmo a imagem

de uma ponta de faca

que espeta o pescoço suado

que degustei com tamanha indecência

sob meus incógnitos lençóis

é mais insidiosa...


Luciano Fraga

11 comentários:

Zinaldo Velame disse...

Belo poema, Luciano! Abraço.

Adriana Godoy disse...

"Pelo vazio dos teus olhos

adivinho a pétala extinta

e a tristeza tem sentido diurno

no seio da noite indômita..."


Esses versos especialmente me tocaram mais..

Belíssimo poema, Luciano.

Beijo

Ana Lago disse...

Todos nós, de uma forma ou de outra experimentamos ansiedade.
Eu mesmo sou, não podemos perder
"mais tempo"...pra quê?


Abraço carinhoso,

Sempre... Ana.

Ana Lago disse...

Que imagem "linda".
Em cada palavra vou "entrando em teus olhos"
Sinceramente, amei muito esta imagem,acompanhado pelo poema...
é claro.

até mais.


hs:15:38

Luciano disse...

Zina, valeu amigo, estarei te enviando um material e depois conversaremos, abraço.

Luciano disse...

Adriana querida, realmente onde a pétalas são escassas, geralmente a tristeza se implanta, mas nem sempre, não é regra, vc sabe bem, beijo.

Luciano disse...

Ana, realmente bela a imagem, os olhos vêem a geografia e o mapa do mundo humano, abraço.

MIRZE disse...

Belíssimo Luciano!

Poderia te apontar quem mata os devaneios, mas não devo. Espero ter esse prazer.

O desencanto forçado é a lágrima no meio do caminho parada, esperando congelar e morrer.

Beijos, poeta!

Mirze

Braga e Poesia disse...

o que foi feito da vida?
uma pergunta que o poema de forma insistentemente pergunta aos leitores e o poeta fraga vem perguntando repetidamente
pois a alegria não é esteio e fraga insiste e os leitores?

Luciano Fraga disse...

Braga, a noite espera, os anzóis esperam, nós estamos sempre esperando, as chaves a fechadura? alguma saída(?)...Abraço.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Num dia inútil de silêncio

"
em dias assim, só mesmo a esperar carnes que nos sejam Uteis