quarta-feira, dezembro 23, 2009

Passage-Janny Saville

ORDENAÇÕES


Vaticínios e pragas
apedrejam a memória
de seda pura...
Vejo isso como uma saudação
futura
que flutua como maldição
de borboletas,
quando o rebanho escorna,
quando a cidade escorna
tomada de felicidades
por miragens baratas
entre cupons mutilados
e resinas abafadas
dos ausentes nus...
O agora cocoalha
entre lágrimas e mesuras
que irrigam
a sopa de letras maiúsculas
e o concreto rachado
da carne do dia a dia.



Luciano Fraga

35 comentários:

Anita Mendes disse...

esse teu poema me faz lembrar um que fiz muito tempo e te respondo com ele:

ímpeto

a violência personificada
seria um travesti
à margem da sua própria
incompatibilidade.
podemos fazer
o que queremos
mas nem sempre
o que se pode será.
o que se canaliza
se torna arte,o que não ;
forma-se em desastre.
transformação
é o que se adquire.
essência constitui-se
de tudo aquilo
que não pode
ser descondensado
num perfume
porém, o mais difícil
disso tudo é entender
porque as borboletas
realizam metamorfoses
e nos apenas dissimulamos.

por Anita Mendes

acho que é por ai ,lu.
Ps: a foto é realmente pertubadora!
beijokas eternas..

Branca disse...

Palavras e imagens fortes!

Luciano,
Desejo que tenha um Natal abençoado e harmonioso junto aos seus e que 2010 seja um ano de muitas realizações, tto pessoais qto profissionais!

thepoisonousi@thehospital.com disse...

Belo blog eu vim encontrar!

Parabéns!

Henrique Pimenta disse...

loucura(s)

imagem e poema


aaaaaaaaaafe!

anjobaldio disse...

Muito bom.
Buenas, FELIZ NATAL para todos teus amigos que frequentam este blog, muita paz e criatividade. Grande abraço!

Devir disse...

Lembra o travestimento que voce realizou na foto do Rafael Ilha, arrancamento(sic) das roupas para mostrar o pecado(?) alheio.

Por chamar papai noel de ícone, sequer dormi direito; pensei nos mortosvivos zanzando de neon a neon na noite, são tão cocoalhados, prontos e previsíveis ao orgute, ao supermecado.
Imagine se reduzisse Cristo a ícone? Os mortosvivos, que não são símbolos, nem nada, arrobariam minha porta, para...

Ah, querida Anita, o que...

Feliz Natal

Luciano Fraga disse...

Querida Anita,não diria uma réplica, mas um início ou mesmo uma continuação,o que farei com esse poema(o seu)? O futuro dirá(rs),bom natal,ano novo próspero e criativo, beijo.

Luciano Fraga disse...

Amiga Branca, muito obrigado pela gentileza,desejo-lhes um feliz natal e um ano novo com paz e sáude, alegria e realizações, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Thepoisonousi@thehospital.com,agradeço sua visita, tenha um feliz natal e um ano novo repleto de positividade, abraço

Luciano Fraga disse...

Henrique (Bardo) amigo,fiquei tão impressionado com a J. Saville que os últimos posts usei as imagens, como uma espécie de homenagem, grande abraço, um feliz natal e um grandioso ano, com muita criatividade.

Luciano Fraga disse...

Buenas, o velho e grande Buenas, tá dito e repassado, desejo-lhes também muita, muita criatividade(além da atual),muita paz e saúde para você, sua família e amigos e para o grande Vicente(preciso conhecer), precisamos nos encontrar urgente, abraço.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir,palavras, palavras,quando ditas...Escritas...Mas quando temos a oportunidade de aproximação de certos ambientes, sobretudo miseráveis,observa a chegada de um Noel com um saco contendo presentes baratos e a reação daqueles que não tem nome nem identidade, não sei se Cristo chegasse com as mãos vazias se teria o mesmo prestígio(rs).Falando em alienação, no JN de terça feira, a reportagem que encerrou adocicadamente, como sempre, foi o endeusamento da figura do velho Noel e muitas crianças felizes(?) em sua inocência ao redor,então concordo quando afirma que túmulos estremeceriam, mais corrijo assim: Para alguns! Viu Anita? bravo! Grande abraço mestre, seguiremos nossas conversas, feliz natal e um ano novo recheado com paz, harmonia, saúde,para você , seus amigos e familiares e uma escrita instigante e polêmica,a Voz clama, que Noel te abençoe(rs).

ronaldo braga disse...

fraga seu poema trata das origens, e o ser humano busca ter na sua origens as coisas porontas, qunado as origens são o começo e o começo é sempre sujo, torpe, violento, então inventamos um deus para a nossa origem e esquecemos que vaticinios e pragas apedrejam a memória da seda pura.
lindo texto.
se vc ainda não leu, leia genealogia da mora de F. N.
Um poema que além da beleza de ser um poema ainda nos presenteia com a desmitificação das origens.

Marcia Barbieri disse...

A maestria de sempre...Feliz Natal e um ano maravilhoso pra você.

beijos

On The Rocks disse...

d. luchiano,

desejo a você e sua família um feliz natal e paz, muita paz!

abs

Klatuu o embuçado disse...

FELIZ NATAL, amigo Luciano!
Tudo de bom.
Abraço!

Ana disse...

Sim sr.Luciano,é reamente pensei q
tinha mentes abertas,mim enganei talvez...
Para entender resumo do texto anterior..isso acontece com mentes sujas...tipo uns e outros e outras tambem...cuidem de suas vidas e parem de creticarem a quem não conhecem,se tokm...ou dane-se ok???
ps: refero-á Tania e Sr. Devir...e tenhan um feliz natal com seu(a)espousa(0)ou melhor...familha,ok???

Luciano Fraga disse...

Braga amigo,quando desacertos, ou até mesmo o sofrimento apresenta-se para os homens eles buscam a justificativa em figuras externas, assim surgem os inimigos(demônios), para que eles justifiquem e não sintam vergonha do seus próprios sofrimentos, bom natal,ano novo repleto de paz e saúde, o abraço foi pessoal.

Luciano Fraga disse...

Márcia amiga, obrigado pela atenção, desejo-lhes muitas alegrias, paz e saúde no ano novo que se aproxima, abração.

Luciano Fraga disse...

Buenas, grato pela gentileza, que o ano novo traga alegrias e saúde, paz e criatividade e o livro do Dom Tarcisio(Buenas), forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Klatuu amigo, muito obrigado, desejo-lhes em dobro, que o ano novo venha cheio de saúde e muita paz, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Ana, feliz natal e um ano novo repleto de paz,equilíbrio e serenidade, tanto na vida pessoal quanto na vida profissional, muitas realizações, abraço.

Ana disse...

TE AGRADEÇO DE TODO CORAÇÂO...
E VC SABE DISSO!!!
IDEM COM FAMILHA.
PS:BELO TEXTO!!!
ABÇS
ANA L.

biazinha disse...

Pertubadores tanto a foto qto o poema!
Feliz 2010, querido!
Beijos.

Mirse Maria disse...

Um poema ímpar e com a marca inconfundível de Luciano Fraga!

Gostei!

Boas Festas, amigo!

Beijos

Mirse

tania não desista disse...

luciano!
internet...causa enganos também!
licença ...um pouquinho!
ana...não julgo ninguém...não tenho direito de fazê-lo!é um blog amistoso com a cara do amigo luciano! não a conheço!...nem sei de nada!
referi-me aos diálogos inteligentes
entre devir e luciano...há tempos aprecio...
esse espaço é de amizades...somos
do bem!
eu...sou da paz!

lu...bom dois oio...2010
taniamariza

guru martins disse...

...é a "crueza
vulgar do
day by day"

aquele abraço

Luciano Fraga disse...

Ana, para a sua família também.

Luciano Fraga disse...

Bia amiga, muita paz, muita luz, felicidades,tê-la como amiga é uma graça para mim,2010 de realizações plenas, beijo.

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga, espero que o ano novo seja de paz e realizações, a vida nos proporciona coisas boas, dentre elas está nossa amizade, consideração, feliz 2010, abraço.

Luciano Fraga disse...

Tania, agradeço sempre pela sua valiosa presença e amizade, manteremos sempre o mais alto nível de respeito e nada , ou melhor ninguém, interferirá nisso, acho que são equívocos gratuitos que não vou valorizar,nem deixarei que esse espaço ganhe conotações de revistas de fofocas e fotonovelas, não vou alimentar os pombos da praça, assim peço desculpas por qualquer constrangimento que tenha sido oriundo desse blog.Desejo-lhes um feliz 2010 com muita paz e saúde, muitas realizações, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Guru amigo, este tal de cotidiano,cada dia mais frio e cruel, só a poesia nos salvará. Feliz 2010 meu irmão, muita paz e criatividade, a benção meu velho, abraço.

Devir disse...

Possivelmente, apesar de botões em mãos que sorriem só quando são filmadas, o diálogo vai crescendo em qualidade, lentamente, e é só o que importa.
Guerras pela paz, quase sempre necessárias, embora jamais libertárias. Costumes, dentre tantos, pertubadores, como embebedar pirú, rss.

Certa vez meu pai, em Tupã, SP, matou um porco dentro de um saco de estopa; única pancada com as costas do machado, um grito nauseante, depois a faca.
Minha ceia, sem suino, porém com muito ódio de coisas assim.
"Malditos cromossomos" Pitty.

A imagem é horripilante, inesquecível, tanto que, nestas datas de compaixões, disconfio até da morte, será que ela sabe o respeito ao dia certo de cada um?

O requinte da Crucificação é foda.

Forte abraço

ps. Ana L. dialoga comigo, rss.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir,é foda mesmo ser crucificado,seja física , moral, intelectual,psicológicamente e com o abuso de palavras,certas ou incertas, não basta a cruz? Mas as palavras correspondem ao requinte,ao luxo do ato, que conduzem ao lixo do fato.Assim mantenho a opinião que emitir no post de Tania.Se por acaso este blog através de uma simples postagem te causou constragimento, desculpas mestre,há um bom tempo travamos diálogos mutuamente respeitosos e se fujo um pouco do sentido, é por pura ignorância e limitação deste cara aqui, forte abraço.

Samuel Pimenta disse...

Vibrante de sentidos! Que força têm as palavras...

Samuel Pimenta.