domingo, março 14, 2010

A.WARHOL

O TÉDIO TAMBÉM É FILHO DO SOL



O tédio é minha arena
onde a fera contra cena
e escalpela-me
como a um novilho
sobre soalhos
em currais de vídeo grama...
Tédio,
é natureza anódina
de um arcanjo,
é estupor de pelotão
sem batalha.
Tédio,
é o arpão inextirpável
no coração de um canalha.
Tédio,
é usura que pela noite vaga
açoita a jangada
pelos mares do além,
tédio,
é a tristeza deambulando
com a alma lavada.
Tédio,
é a felicidade desencorajada
e diante dele,
a morte não dá um pio...


Luciano Fraga






31 comentários:

Mai disse...

E contra o tédio vem um poema e salva meu dia. Foi tão bom ter vindo aqui, Luciano.
Abraços

On The Rocks disse...

mas quando dá... hum, ninguém fica impune.

buenas!

Cosmunicando disse...

há tempos estava querendo voltar aqui pra saborear tua poesia, sempre muito bem construída e forte!
você conseguiu pintar o tédio com as cores e metáforas que melhor lhe cabem, pura sacação.
estou levando para o Literapura, ok?
abraço

Adriana Godoy disse...

Ei, Luciano, o que nos salva do tédio? a arte, esse poema, por exemplo. Gosto tanto de chegar aqui e encontrar coisa boa como essa. Aí a gente diz: vale a pena. Beijão.

Mirse Maria disse...

Agora eu sei, que o que sinto é tédio!

Nem vou ao médico mais.

Beleza de poema, Luciano! Forte como eu gosto!

Beijos

Mirse

Luciano Fraga disse...

Mai amiga, certamente a poesia é um bom remédio para este mal do século,abraço.

Luciano Fraga disse...

Buenas,quando a foice chega, arrebata sem dó mesmo,mas dentro do tédio bate aquela vontade de sumir,mas...nada acontece a não ser sentir a companhia incômoda,abraço.

guru martins disse...

...grande
luciano!!!

aquele abraço

Luciano Fraga disse...

Cosmunicando,enorme prazer a sua presença,prazer maior aparecer no Literapura,abraço.

Luciano Fraga disse...

Afriana querida,sempre sábias palavras,o que seria de nós?beijo.

PS. A Voz Da Pedra tá saindo do forno afinal.

Ana disse...

Olá Lugiano,

As vezes,simplismente não existe
resposta nem explicão.Apenas a
Vida.Apenas as pessoas.Apenas o
Mundo.Apenas a dor e o Amor.
Apenas...
É só tentar...simplismente VIVER,sentir.
Sai pra lá tédio..(rsrs)

Belo poema.

Abraços

Até mais.

Sempre...




Ana Lago.

Ana disse...

PS:não repare digetei seu nome errado.

tania não desista disse...

luciano! um primor!
e o tédio é tudo isso!...mostrou-se em variadas facetas. pode se instalar...fazer moradia!...mas podemos ,também, faze-lo dançar bem longe!...tentar ...pelo menos!
...atitude x inércia!

abrç
taniamariza

Braga e Poesia disse...

tédio é tudo aquilo onde eu sou e não estou;

anjobaldio disse...

Buenas, agora eu fico mais com o RIMBAUD: o tédio não é mais meu amor!

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga, que bom que que tenha servido como uma receita,realmente a poesia se não serve para curar muitos males,ao menos alivia,grande abraço e alegria no coração.

Luciano Fraga disse...

Guru amigo , obrigado, forte abraço, sem tédios!

Luciano Fraga disse...

Ana, que saia mesmo, tudo torna-se mais leve, abraço.

Luciano Fraga disse...

Tania amiga, muitas vezes o tédio surge como algo não identificável, sem causa imediata, talvez produto de acúmulos e ficamos impotentes, a força para expulsá-los tem que ser encontrada a qualquer custo, não resta dúvidas, abraço.

Luciano Fraga disse...

Braga, esta é uma grandiosa definição, abraço.

Luciano Fraga disse...

Buenas,Rimbaud sempre imbatível, fico pensando o tipo de tratamento que devo dispensar ao mesmo(rs), seria um amigo? Abraço.

Zana Sampaio disse...

e ficamos os dois, eu e meu tédio... nos olhando em silêncio e pensando nesse mosaico de conceitos tão... cheios de usura de verdade! gostei muito!

Luciano Fraga disse...

Zana, sempre assim, ele a nos contemplar e insaciável,não diz absolutamente nada...

Luciano Fraga disse...

Cosmunicando, agradeço a oportunidade pela publicação desse poema em seu conceituado blog LITERAPURA, abraço.

Anita Mendes disse...

lulu, voltei pra ativa! tava com saudades desse espaco aqui! adorei o layout! tava estudando muito, muito, muito... um tedio so(kkkkkkkkkkk) Vc sabe bem disso! voltarei por aqui pq a saudade bateu mas nao vai ficar mais! Belo poema lu, belo poema!
Beijos eternos da sua amiga virtual, Anita.

Devir disse...

Em quem dirá, depois de cada cena, contra, jamais a favor, que os atores da divina comédia voltam para casa tão belos e ricos de fatansias?!!
Qual é a casa da atriz, Caro?

Luciano Fraga disse...

Anita querida, que bom ter seu retorno.Estudando e adquirindo conhecimentos o que não faz mal a ninguém, já estava com saudades também, beijo.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir, bastante desafiador, mas diria que a residência da atriz poderia ser na Casa Usher, antes de cair(rs), abraço.

PS. por estes dias tá sendo encaminhado algo.

Devir disse...

Ah, o velho e imortal Edgar!!!
As obras primas
tomam o lugar
das obras irmãs
e mãe então, nem pensar...

Papai, o sir Eliot
quantas vezes me jogou na cara
que também sou oco!

Gostosas são as obras amigas
que surpreende na calada
noite preta, rss

Devir disse...

Porrrra!!!
A Mai!!!
Quase que me esquecia
de dividir com voce
este meu enorme t

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir, o Sir Elliot é um dos meus preferidos,somos mesmo ocos, tal Brando no apocalypse.Por falar em Mai, visita o blog dela, vale a pena, tem nos meus links,Homens....Abraço.