sábado, outubro 10, 2009

NA LONA NO ÚLTIMO ROUND

Homem nu com Faca-Jackson Pollock-1938-40


Soa o gongo
e o sol salta tão assustado
do meu pobre bolso
quanto um mártir...
O amor sangra na salmoura
tentando livrar-se
dos remorsos...
Minha loucura é devota,
não suporta o peso dos delitos,
foge da espera.
É hora da execução!
Entrevejo sombras
de defuntos rancorosos
lá onde o céu vacila
entre as tranças
do amor que expirou.
Cortei todos os pensamentos
do meu cardápio,
mas aquele amor tenta
manter-se conservado
com a mesma dieta,
com o mesmo sal
que me fez doente...



Luciano Fraga

22 comentários:

Adriana Godoy disse...

Luciano, esse nocaute no último round é de f...Esses amores conservados em salmoura fazem arder o coração e podem sangrar. É uma doença mesmo e temos que levantar e nocautear o adversário. E beber a sangria. Lindo e intenso poema. Beijo.

Marcia Barbieri disse...

"O amor sangra na salmoura
tentando livrar-se
dos remorsos..." VC. É GENIAL!!!!O QUE MAIS POSSO DIZER??????????

BEIJOS TERNOS

Denise disse...

Luciano,

Às vezes acho que meu coração anda meio fraco para certas emoções, voce me acertou profundamente.
É uma dor boa.

Bjo, com admiração,

Denise

Anita Mendes disse...

"Minha loucura é devota,
não suporta o peso dos delitos,
foge da espera."
essas são palavras brilhantes meu caro, lu!
deixam os loucos serem loucos porque curar a loucura seria um crime, não ?
beijos amei amei...
vou postar esse no meu blog depois...(posso?)
ps: o quadro de Pollock complementa(um dos meus artistas favoritos!)
beijocas eternas...

BAR DO BARDO disse...

De um amor desses fugimos... para dentro dele...

Gostei do seu texto, Luciano!

Abraço!

Ana disse...

Cortei todoss os pensamentos do meu cardápio,mas aquele amor tenta
manter-se conservado com a mesma dieta,com o mesmo sal que me fez doente...
É por ele é deve ter sido puro, verdadeiro...único!
Talvez,se sinta inconformado,
esmagado pelo arrependimento,
atordoado pela tristeza do que poderia ter sido e não "FOI?".
Tem uma sensação que estragou tudo?
Não sabe mas oq fazer para parar de doer?
Acredite,só tem um jeito;"SOLTA".
Não se trata de desistir,mas de confiar!..isso é o que desejo á mim a você e a todos quando estiver
"DOENDO".
Demais esse poema!!!
Abraçoss e Abraçoss á você LUCIANO.
Ana Lgo.

Luciano Fraga disse...

Querida Adriana,beijar a lona, jamais.Busca lá no fundo aquele último gás e solta a direita, surpreendentemente, aquele abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcia, sua gentileza é incrível, a recíproca é 200% verdadeira,obrigado, abração.

Luciano Fraga disse...

Denise,muitas vezes um poema cabe tão certo em nós que nos embaraça, parece que foi encomendado, você sabe disso(por ser uma excelente escritora), certas experiências realmente deixa-nos combalidos e na retaguarda...Grato pela sua valiosa presença, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Querida Anita, o que seria de nós sem a loucura nossa de cada dia? enlouqueceríamos de verdade.Assim certas paradas da vida nos deixam fartos, exaustos, quase nocauteados, e no soar do gongo eis que o inimigo cai... Quanto ao poema, fica a vontade, já não nos pertence mais, será um prazer, beijo.Pollock,sem comentários.

Luciano Fraga disse...

Bardo amigo,fugir? só dos "amores mortos e dos perfumes exauridos" , grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Ana, confio na intuição exilada nos confins de um lutador, quando as estrelas dominam sua visão e de forma cega solta o braço e leva o inimigo(nós mesmos) ao chão, abraço.

Mirse Maria disse...

Lindo, Luciano!

Sinto dizer que estou no "nocaute" e em estando, o nocauteado enfarta antes do golpe. Tenho que cuidar primeiro, tratar-lhe, lamber-lhe as feridas. Recuperado, aí sim, serás a hora do nocaute.

Entre-exames, tirei uma manhã para visitar os amigos. Únicos que tenho e que prezo.

Parabéns pelo lindo poema!

Beijos

Mirse

Luciano Fraga disse...

Amiga Mirse, agradeço enormemente a sua imensa delicadeza, principalmente num momento de adversidades que enfrentas, independente de qualquer assunto relativo ao nosso blog,torço com firmeza para que tudo tenha um desfecho positivo, tenha confiança que certamente vencerá,você está incluída em minhas orações diárias, forte abraço, que caia uma chuva de bençãos.

tania não desista disse...

oi,luciano! que beleza!...
pra tanta inspiração...há de ter sido... um amor... pra lá de bonito ...enquanto vivo e ardente dentro de ti.
agora ..dê...tempo ao tempo!

sempre... haverá um novo amor a encontrar!... breve...dirá o tempo!
abrç
taniamariza

guru martins disse...

..."o amor
é um acidente
cardiovascular
fatal
inevitável
e útil",
meu compadre!!

Ana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luciano Fraga disse...

Amiga Tania,muitas vezes o poeta consegue enxergar a realidade de outros mundos que não lhe pertence,foi o caso específico,não provei o gosto do sal, ainda...Obrigado, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Guru,talvez uma ponte safena resolva a dor do peito, abraço mestre.

Zana Sampaio disse...

a minha culpa é o meu ópio e meu remédio... minha alma é doente de medo... e minha dieta é a base de loucuras e vacilos. Como é de praxe: belo poema!

tania não desista disse...

hum!...brilhante!o poeta foi longe!
viveu em palavras... uma dor imaginada...nocauteou o lírico! poderia ser qualquer um de nós!
bom demais!
abrçs
taniamariza

biazinha disse...

E pra ler esse poema eu recomendo essa música que sempre me lembrou muito você:
Agnus sei