sábado, julho 25, 2009

Trauma do Nascimento- Ismael Nery

INFERNO DE UM SEMIDEUS NU




Jamais farei de mim
um objeto plano
ou mesmo oblíquo,
subversivo assim,
multiplicado por
quatrocentos e tantos anos
de espírito preservativo.
Se ainda ando
atrás do amor
é porque aprendi
que sofrer é viver mal
e eu nunca disse
Eu te amo,
nunca implorei que dissesse,
acho uma asneira recíproca.
Olha só minha garota
com luzes nas pontas dos cabelos,
acenda-me para sempre
nessa noite plena,
incendeia-me de multiplicidades
nesta cidade de dietas prontas,
quero plainar
por todas as ruas
onde deixei escondidas
sob leitos desconhecidos
as minhas volúpias,
onde o prazer fluía
em espasmos de metáforas.
Explode-me em estóicas
atmosferas!
Minhas vocações vegetais
desembocam em auras,
em vinho tinto,
em odores de viagens ciganas.
Os meus gestos vagos
geram transes
de abril molhado
e acolhem os frutos anônimos.
Esconde o poder da semente
entre teus seios difusos,
protegendo-as contra os ventos
da poesia maligna
e dos desumanos azuis.
Sei que corro riscos
de carícias líricas
e esplêndidas perturbações,
embaraço meu bocado de fervor
em teu cio evaporado,
bebo porções de teus caracóis
e repouso profundamente no estio
de tuas malícias,
louvo teu cio
em intermináveis reprises
e arrisco-me a dizer
que sou um banal,
sem reparos, sem alarmes,
é onde encontro-me agora,
só e nu,
nesse amor sideral...





Luciano Fraga



33 comentários:

Devir disse...

Nossas garotas voam
a juventude se perde
os garotos fiam-se
em nossos cabelos

Está chegando o dia
χρυσαλλίς de fé e razão
agora a encarar os ventos
abandonar vapores baratos

BAR DO BARDO disse...

Amor em carne, osso e muito, muito mais... Que ritmo fodido!!!

Parabéns, Luciano!

Adriana Godoy disse...

Luciano, que poema mais apaixonado embora não diga: eu te amo e nem queira ouvir. "louvo teu cio em intermináveis reprises" . Nossa, que sensualidade e como diz o Bardo, um ritmo alucinante. Intensamente intenso esse inferno de um semideus nu. Apaixonante. beijo.

Ana disse...

Não precisamos ir a lugar algum,ñ precisamos descobrir nada nem nos tornarmos alguém melhor,já somos.Todo amor que buscamos estar dentro de nós, é um deles..mas infelizmentes,somos teimosos o suficiente para continuarmos uovindo e nunca sentindo.!"Perdemos o melhor da vida e do amor quando deixamos escapar o agora".Só e nu,nesse amor sideral,no imenso azul tapete estrelar.Lindo poema Luciano, abraços..ANA Lago.

Mirse disse...

Lindo poema, Luciano!

O poeta se desnuda e revela o que há de mais lindo num ser: sua alma e sua ânima.

Parabéns,

Beijos

Mirse

Zana Sampaio disse...

plano jamais serias,
senão minha alma não estaria em teus versos, cheios de nudez, perversidade... Bravo poeta!!!

Anita Mendes disse...

wow!
lu, esse poema é demais! "top dos tops podemos dizer"!(rs)

"Minhas vocações vegetais
desembocam em auras,
em vinho tinto,
em odores de viagens ciganas."

e pra que o amor? definições são absurdos pois sentir a ignorância de sabe-lo é inútil. Nunca se diz te amo, se ejacula.
a nudez da verdade é mais dura que a vestimenta da efemer-idade ... e vale apena a essência ficar?
eu quero sempre diferente naturezas.
lindo!
beijos enormes pra ti, Anita.

Talita Prates disse...

"Eu te amo... acho uma asneira recíproca." Rsrsrsrs
Que medo de o amor ser mesmo uma asneira coadunada por um par de idiotas! rs
Paz. :)

lunarr disse...

Alguém já te disse 'Eu te amo',pois..a mim já, e eu fiquei paralisada...te digo assim...aquela luz presente,quando tem as janelas abertas,o amor sempre conforta quando tem vontade,quando deixa fluir...acontecer..quando as estradas ainda brilha em nossos caminhos,desanimar é deixar de ser...Não vou desistir....é só isso!

Tarcísio Buenas. disse...

d. luchiano,

você foi fundo nesse de tal de amor...

somos banais? devemos ser mesmo...

buenas!

Lunarr disse...

Aonde estar seu brilho?Aonde estar vc agora?sua chama se apagou?o que aconteceu?serar que nunca teve?foi tudo ilusão!!!???
"O rio passa,e as pedras rolam,e por mais que rolem,não vão ficando pelo caminho...são assim ...!!!!deixar ou não de ser o tal banal?como diz..é a "TREVA"??rsrsrssrsr!!!amei poeta Luciano. PS. manda outro!

Devir disse...

Rsssssssssssssss, ducaraleo

Radiação, sim
como não?

Destruição, jamais!

Morreria por voce
e por cada um de todos
mas, rss, não tenho pressa
tirem os dedos dos botões
porque, aqui
não existem bobas bobos bombas

ah, demorou suas resoluções

Grandes abraços

Luciano Fraga disse...

Amigo Devir,vamos abandonando os vapores baratos enquanto elas seguem escapando entre nssos dedos e nossos beijos, abraço.

Luciano Fraga disse...

Bardo amigo,amor com sabor de todos os ritmos, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Adriana,seus comentários servem-me de guia,baliza, sempre indicadores de norte, bússola poética, obrigado mesmo, beijo.

Luciano Fraga disse...

Ana, estamos aqui e alí e precisamos estar em todos os lugares no tempo/espaço, o "futuro foi agora, tudo é invenção",abraço.

Luciano Fraga disse...

Mirse, realmente temos esta necessidade, desnudar-se diante de impossibilidades para fazer-se poeta, abraço.

Luciano Fraga disse...

Anita, seu comentário é uma poesia,"nunca se diz eu te amo, se ejacula", disse numa frase poética o que eu queria dizer e não conseguir, genial, abraço carinhoso.

Luciano Fraga disse...

Talita, é que muitas vezes isso(eu te amo) soa como um fantasma, uma assombração,o amor e não os amores é maior que todas as exclamações, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Lunar,não entendi se você afirma ou questiona.Respondendo, já, algumas vezes e incrivelmente não ficou, insisto que o amor é maior que uma frase soprada num dia de feriado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Amiga Lunar, quem dera ter seu brilho prateado, sou apagado mesmo, abraço.

Luciano Fraga disse...

Buenas, foi necessário.Acho que somos sim, mas é bem melhor que sermos uns boçais, não é mesmo? Buenas, abração.

Luciano Fraga disse...

Amigo Devir, raios ultra violetas,aquecimento global, relatividades gravitacionais, bombas Z e H e a força do amor apertando os botões que a vida vai decolar, abraço.

Talita Prates disse...

Obrigada pela visita e comentário, Luciano!
Fico feliz e honrada por vc ter gostado do blog. Serás sempre bem-vindo.
Paz. :)

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Luciano,

Você disse "eu te amo" em cada linha, em cada ponto, em cada explosão. Não precisamos falar quando essa frase grita por nós.

Adorei!

Que seu começo de semana seja de luz, querido amigo.

Rebeca

-

Zinaldo Velame disse...

Bom demais, Luciano, abraço!

guru martins disse...

...que femea
poderosa essa
hem, meu cumpadre...

aquele abraço

marcio mc disse...

Mais uma vez mandou bem!Abraços.

Luciano Fraga disse...

Rebeca, é possível que tenha dito mesmo, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Zina, valeu mesmo amigo, abraço.

Luciano Fraga disse...

Guru amigo, deve ser mesmo, mas não tem endereço específico, você sabe né? Abração.

Luciano Fraga disse...

Márcia, vamos tentando mandar, forte abraço.

Braga e Poesia disse...

só e nu sempre eternamente mas nem sempre nu de roupas.
a banalidade é a descoberta dos que não são arrogantes e nem bestas. afinal expomos nossas costelas aos magarefes e caro poeta suas poesias são além de arte uma fonte de energia para se viver.