terça-feira, maio 26, 2009

QUANDO A ESCURIDÃO- diamante lapidado de ADRIANA GODOY

Refugee from Gondon- Sebastião Salgado Mali-1985

QUANDO A ESCURIDÃO

a Luciano Fraga (meu querido poeta)




quando a escuridão parece mais escura que é
e você está no meio do mar em um pequeno bote
vê uma mancha preta maior que a escuridão
pensa que não haverá mais jeito
desta vez não tem saída
então olha para cima e não vê estrelas
olha para baixo as águas são geladas e negras
você ali no pequeno bote
no meio daquele oceano imenso e gelado
sem tempo sem brisa sem cor sem som
e aparecem uns olhos esverdeados
que brilham e não são estrelas
são maiores que a escuridão e o frio
e você se agarra a eles a seu brilho
você acorda em sua cama e uns olhos verdes escuros
mais escuros que aquelas águas te olham
então você dorme e quase sonha e quase se aquece
e quase pensa que está salvo




Adriana Godoy

45 comentários:

Luciano Fraga disse...

Querida Adriana, não se mexe na alma de um diamante, ele é belo sem lapidar, entendeu não? Muito grato pelo presente e pela pérola, emocionante, beijo, saúde sucesso.

Adriana Godoy disse...

Nossa, Luciano! Fiquei até sem graça. Não sei se mereço estar em seu blog, no meio de suas preciosidades, mas me sinto muito feliz e orgulhosa. Esse poema foi feito assim de um fôlego e é dedicadíssimo a você, com toda minha admiração. Beijo e obrigada, querido poeta. Uau..........

Adriana Godoy disse...

Ah! Adorei a foto! Combinou.

BAR DO BARDO disse...

Gostei dos olhos verdes, mas, muito especialmente, do texto inteiro. Parabéns aos dois, Dri e Lu.

- Pi

Inominável Ser disse...

Um texto perspicaz, prosa poeticamente moldada a partir de visões as mais naturais da essencialidade que se esconde nas sombras d'alma dos poetas...

Bea - Compulsão Diária disse...

Quases....à margem desses seus transes de tempo, estações. Adriana e as cores. os gatos. inesperada e surpreendente sempre.

Agora, volto por Voz, ok?

Renata de Aragão Lopes disse...

A escuridão sempre parece mais escura que é... Adriana soube descrever muito bem essa sensação. Parabéns a ambos: à remetente e ao destinatário dos versos!

Anita Mendes disse...

na escuridão aprendemos a não confiar nos olhos e enxergamos a pura realidade pois ela está nua, vulnerável .ela está simplesmente mais clara.
essa poesia nos deixa um intrigante gostinho de quero mais.
beijos pra ti,drika.
um belo poema!
Anita.

Vinícius Paes disse...

Lindo.

Luciano Fraga disse...

Adriana, sua presença neste blog é um requinte, é um toque, aliás nem precisava falar, sua poesia já diz.É uma honra para mim e a modéstia é sua,outra vez obrigado, beijo.

Luciano Fraga disse...

Bar do Bardo, caro amigo, idem, idem e veja que ela pediu que devolvesse o poema caso não gostasse, imagina se eu teria esta ousadia de tocar numa pérola destas, concordas? Obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Bea, Adriana sempre surpreende, obrigado , abraço.

Luciano Fraga disse...

Renata, encontrar os olhos verdes na escuridão foi fantástico e fundo, obrigado, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Inóminavel Ser, primeiro gostei do nome, sem nome, depois é justamente na sombra de todas as coisas que tudo acontece mesmo, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Anita, você acertou em cheio o que eu não havia conseguido identificar após ler várias vezes:o "quero mais", obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Vinicius, belo mesmo meu caro, abração.

Zana Sampaio disse...

tem a beleza da pedra de Vênus e revitaliza como só a poesia é capaz...muito lindo mesmo!

Marcia Barbieri disse...

Que todos possamosencontrar esses olhos de um verde escuro e confortante.

beijos

Lou disse...

Luciano,

Parabéns pelo espaço!

O trabalho da Godoy é espetacular! Quanto ao poema postado, você o denominou com maestria: um diamante!

Abraços em todos,
Lou

tania não desista disse...

coisa muito especial,luciano!
maré preta...o verde da esperança ...toma formas...
todos os olhos... são verdes e iluminam caminhos...confortam...
..será??... várias percepções!
linda a apresentação,luciano!
bjo nos dois...
taniamariza

Cosmunicando disse...

Adriana foi fundo nesse poema, e com as imagens que ela bem sabe sucitar quando escreve... o final é mais que "quase", é belo =)

abraços aos dois

Braga e Poesia disse...

e quase pensamos que estamos alvos.
sempre é assim adriana e a gente percebe que não há salvação, aquele sentimento virou pele em nosso corpo.
bela homenagem ao poeta.

Cynthia Oliveira disse...

Luciano,
Lindo o poema de ADriana (esses olhos que cutucam a alma... povoai, ó Deus, a terra de muitos olhos assim).
Bonita a homenagem que fizeram um para o outro.

Luciano disse...

Muito bom Drika. Ao luciano parabéns. União perfeita em palavras e versos.
Abração aos dois.

marcio mc disse...

Justa homenagem.

Adriana Godoy disse...

Olá, agradeço a todos que passaram por aqui. Foi uma ótima experiência. Seus comentários e leitura vitalizam a atividade. Luciano, a recíproca é verdadeira. Obrigada. Beijo grande.

Zinaldo Velame disse...

Bela homenagem, parabéns! Abraço, Adriana e Luciano!

Guru Martins disse...

...esse bardo
tá de bola cheia.
bem merecido!

daufen bach. disse...

Olá meu caro!
prazer estar aqui!
vim atraves do blog Adriana.

teu espaço aqui e magnifíco!Conteúdo pra alá de bom!
Parabéns!

com relação ao texto da Adriana...Maravilha. como disse o Bardo, "gostei dos olhos verdes"...rs

abraçao meu caro,
beijo adriana

Parabéns ao dois.


daufen bach.

Devir disse...

Verdes, azuis, castanhos, negros
e os olhos furtacor
sempre serão como a luz
ao final de um pesadelo

Belo poema, Adriana

Luciano Fraga disse...

Zana, a poesia revigora, revitaliza ao tempo que ela te espreme e te explora na medida em que você não põe ela para fora, abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcia, esperamos, obrigado, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Amiga Lou, verdade mesmo, se tiver algo maior que diamante, que seja, obrigado,felicidades, abraço.

Luciano Fraga disse...

Amiga Tania,a poesia de nossa Adriana é um primor, eu não desistirei dela(a poesia,rs),obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Cosmunicando, amiga, você sabe muito bem das coisas...Abração.

Luciano Fraga disse...

Caro Braga, nós já estamos salvos, condenação é uma invenção, o que nós fizemos, não é mesmo? Abraço.

Luciano Fraga disse...

Cynthia, precisamos mesmo de olhos desta natureza, que os nossos sejam assim, obrigado, paz.

Luciano Fraga disse...

Ao Luciano(de lá), grato mesmo pela visita, Adriana merece , abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcio, obrigado meu caro amigo, abraço.

Luciano Fraga disse...

Zina, obrigado amigo, grande abraço.
P.S.Trouxe algo para você, devo deixar lá em sua casa.

Luciano Fraga disse...

Grande Guru, bola cheia, mas não joga nada...Grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Caro Daufen, só tenho que te agradecer.Sua presença enriquece qualquer espaço, sucesso, abraço.

Adriana Godoy disse...

Pessoal, obrigadíssima pelos comentários. Isso faz bem demais. Luciano Fraga, meu poeta querido, suas respostas aos comentários são uma delicadeza. Foi bom ter caído em sua rede(no bom sentido) Beijo muito especial.

Luciano Fraga disse...

Devir,bom seria se todos os olhos do mundo estivessem atentos e despertos, poderíamos enxergar bem melhor certas verdades, abraço amigo.

Luciano Fraga disse...

Adriana, importante este intercâmbio e troca com a participação de novas pessoas em nossos blogs, não deixa de ser uma importante experiência e também uma oportunidade para que outros conheçam nossos trabalhos.Como dizia Sartre,"quando escrevemos, esperamos por aqueles que estão do outro lado, o leitor".Agradeço a você e outras oportunidades virão certamente.Beijo.