quinta-feira, abril 23, 2009

SOLEIRA
""o meu coração é uma pedra de cristal..."
O meu cotovelo
pede licença a lua
para derramar
toda dor
sobre os batentes
iluminados de minhas
janelas,
enquanto descanso
o queixo
sobre a palma da mão
e o horizonte
indiferente
ao tempo,
engole meu perdido
elo...
O meu relógio de parede
é o sol
em teu olhar...
Luciano Fraga

29 comentários:

Zana Sampaio disse...

...a secura dos lábios também marca o tempo!
muito lindo teu poema, me trouxe o bom saudosismo português...lindo, lindo!!

Nanda Assis disse...

é gente, mundo tempo e vida!! amei o poema.

bjossss...

Raquel disse...

Oi Luciano, tudo bem?
Estou fazendo uma matéria sobre blogs que viraram livros.
Gostaria de saber se você disponibilizaria seu e-mail para uma entrevista?

É coisa rápida, 6, 7 perguntas...

Agradeço a colaboração
Abraço,
Raquel

Devir disse...

Muito bom poema!
Lembra quando conversamos sobre, eu defendi que o poema deve ter sempre destinatário, voce que a poesia só precisa ter o destino ao gosto do autor, e calamos sobre um suposto impasse?
Então?
Este atual está maior, voce apurou seu gosto, ou foi o destinatário(chute: universo dos românticos) que cresceu ou, apesar do tempo adverso, evoluiu?

Marcia Barbieri disse...

"O meu cotovelo
pede licença a lua
para derramar
toda dor" me lembra samba antigo,como sempre você acertou!!!

beijos ternos

Adriana Godoy disse...

Luciano, não sei se é por que estou doente, mas esse poema mexeu com minha pedra (não de cristal)mas que insiste em bater cá no meu peito. Lindo poema, meu poeta lunar.
"O meu relógio de parede
é o sol
em teu olhar...", porra, precisa de mais? Maravilhoso. Beijo.

Tem um poema no blog da Hercília que ela fez pra mim, Dê uma olhada, please. beijo.

http://fernandeshercilia.blogspot.com/

Luciano Fraga disse...

Zana, a fome e a sede juntos são marcadores do tempo, abraço.

Luciano Fraga disse...

É Nanda,Vida louca
vida, vida breve...Abraço

Luciano Fraga disse...

Raquel, sem problemas, caminho_1@hotmail.com Grato pela visita, abraço.

Luciano Fraga disse...

Meu caro Devir, gosto demais dos seus questionamentos, continuo no mesmo ponto, sem alvo, dor é dor "em qualquer canto" ou universo, independente de categorias, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcia, sabia que não tinha me ligado .Samba canção, tem muitos maravilhosos, abração.

Luciano Fraga disse...

Querida Adriana, em primeiro plano, sua saúde, que volte ao normal urgente.No caminho tem sempre uma pedra, não é mesmo? Com certeza vou conferir, abraço.

On The Rocks disse...

d. luchiano,

há sempre pedras no galope do tempo.

abs

Ruela disse...

"O meu relógio de parede
é o sol
em teu olhar..."


Belo!


Abraço.

Guru Martins disse...

...cumpadi!!
simplesmente
muito boa.

valeu.

Luciano Fraga disse...

Ruela, baseado no seu relógio, abraço.

Luciano Fraga disse...

Grande Guru, vamos batendo o ponto, abraço irmão.

bat_trash disse...

Estranho...eu havia comentado este poema e o comentário simplesmente não foi.....grrrr, bugs do servidor.
Este é um tipo de registro lírico, não muito ususal em Luciano Fraga, e por esta razão, achei muito belo, embora tudo que vc escreva seja de qualidade incontestável.
Há momentos em que a natureza é codjuvante do sofrimento humano atuando em sintonia com os seres que se valem da mensagem calada que ela transmite.

Mil beijos.

PS: Não tenho estado muito presente na blogosfera por falta de tempo, leia-se escola.

Zinaldo Velame disse...

Muito bonito, Luciano, parabéns pela sempre especial escrita! Abraço!

Braga e Poesia disse...

derramar a dor, uma imagem de uma dor derramada e juntada ao lado, paasada em revista a dor e contada e pesada.
um poema forte e dolorosamente lindo.

marcio mc disse...

Muito bom!bom mesmo.

heraldo disse...

Creio que tudo já foi dito pelos comentários anteriores.No entanto, vale a pena repetir a excelência do poema.
Tenho pensado muito sobre o tema que conversamos e irei ler mais sobre Sartre.Em um dessas oportunidades conversaremos sobre ele.
Grande abraço e os poemas tem exercido muita influência sobre mim

Luciano Fraga disse...

Bat-, muitas vezes quando somos atingidos por algo que nos aflige, a natureza é o cenário recorrente para despejarmos ou mesmo entrarmos em comunhão,obrigado,beijo.

Luciano Fraga disse...

Braga, precisamos de coragem e desprendimento,sobretudo para olharmos nossas dores na cara, abraço.

Luciano Fraga disse...

Muito bom Mestre Heraldo, espero que sejam boas influências, as ruins reflita, nada é bom ou ruim até o fim, abraço.

Luciano Fraga disse...

Mister zina, valeu a força, abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcio, obrigado, abraço.

Julie fly disse...

lindo! lindo! lindo!

Luciano Fraga disse...

Julie, obrigado pela visita, abraço.