quinta-feira, agosto 14, 2008

TINGIDA



“liberdade: é ser indiferente às amarguras...”
Nietzsche



Cantarei um verso de amor:
A Abolição...
Um alívio para o coração
é nadar
nas profundezas agudas da razão
sublimar
os sábados com aromas
subverter
assertivas amotinadas
relevar o ato
de santo que se masturbava
na cama de um dragão
escutar
o grito das putas velhas
debruçado sobre a mesa de bilhar.
Absolver
o sujeito acabrunhado
que sangra aos pés
de um periclitante amor
e canta uma canção polida
inspirada em versos toscos
da escravidão...


Luciano Fraga

6 comentários:

Nelson Magalhães Filho disse...

Mais um belo poema, buenas LF. Muito bom.

Braga e Poesia disse...

SEUS NOVOS POEMAS SÃO ESPERADOS SEMPRE.
lUCIANO SUA POESIA É NÃO UMA ESPERANÇA, MAS UMA CERTEZA QUE A VIDA VALE A PENA SER VIVIDA.

Zinaldo Velame disse...

Criativo e com expressões singulares. Os teus poemas sempre trazem algo novo, e isso é bom demais. Abraço, Luciano!

marcio m disse...

Um poema lapidado,muito
bom.

Ruela disse...

Muito belo Luciano,
já abriu o meu mail?

Abraço.

Luciano Fraga disse...

Ruela,obrigado. Já conferir a mensagem, tem resposta por lá,abraço.