segunda-feira, agosto 18, 2008

MACULADO


Reprovado por teus seios
áridos,
busco as migalhas
sucumbidas
sobre minha alma
que pena
na escuridão de um barco
naufragado
nas águas tranqüilas do teu mar...
Eu,
inconsciente pairava
guiado pelo vapor
dos teus olhos negros,
enquanto minha sombra
induzia-me a mergulhar
na sentença de réu
pela transgressão das tuas pupilas
que aqueciam minha pele
levando-me ao orgasmo poluído
em tua imutável beleza...
Márcio Carneiro

7 comentários:

Luciano Fraga disse...

Grande poesia do amigo Márcio que é fã dos trabalhos de Nelson M. Filho,confiram- blog imagens e conflitos.

Braga e Poesia disse...

marcio em breve vou ler seus poemas no interditado

Luciano Fraga disse...

Ronaldo,perfeito,este seria um dos indicados,junto com nosso Zinaldo/ Nelson,abraço.

marcio m disse...

Valeu Nelson,valeu Ronaldo o interditado é o canal que tava faltando para expor nossas idéias.Um grande abraço.

Zinaldo Velame disse...

Poesia de extrema beleza, com versos ricos e certeiros. Parabéns a Márcio e a você Buenas pela divulgação. Abraço!

Ruela disse...

Parabéns ao Márcio,
abraço Luciano.

Luciano Fraga disse...

Valeu ruela,Márcio é uma grande figura,abraço.