quinta-feira, maio 29, 2008

FOLIAS DE INVERNO



Um carnaval misantrópico
inicia-se assim:
pulsante,
coisa mítica, vívida,
trilha sonora carnívora
para um final de semana
caótico,
como um cortiço deserto,
um fluxo interminável
de vozes fortes
ecoando
dentro de um circo
hipnótico,
pela trapezista que salta
sem redes abaixo,
perverso
com os felídeos que abortam seus filhotes;
enquanto isso vou parindo
versos intercalados
com impacto de metrópoles,
digressões inapeláveis de sexo
e pancadaria
para quebrar a monotonia
antes de ser deflorado
pelo inverno...
Luciano Fraga

Um comentário:

ronaldo braga disse...

encontro, na poesia de luiciano, uma constatação da inevitável deploração do estado humano, e essa poesia é marcante pois ela deflora as certezas e paira intercalada emtre o sexo e a pancadaria