sábado, março 29, 2008


CAÇÃO ANJO

“... vá cultivando a semente
até que um dia arrebente o saco,cheio de sol...”
K. de França


Quando você implodiu
o fundo
do meu poço,
cardumes boiaram...
Agora,
não tenho como camuflar
o florescimento
da vingança
sobre a cartilagem
das enguias resgatadas...
Antes que toquem as
trombetas
e lancem insultos
escabrosos sobre os mares,
ou os polvos e salmões
levitem junto com os corais
sobre as águas bentas
e potáveis,
não esperem vocês
tubarões
com os dentes aguçados
por gotas sanguíneas
de milagres.
Portanto,
não serei Eu,
um mero
vermelho arpoado
quem baterei a continência...

Luciano Fraga

3 comentários:

ronaldo braga disse...

vivemos em um tempo assim: temos o tempo todo que refletir e responder.
ou matar e sofrer.
adorei este poema e mais ainda o poema que apresenta o seu perfil.

Luciano Fraga disse...

Ronaldo, valeu.Concordo,devemos sempre refletir, refletir,repensar e talvez responder,mesmo que seja com o silêncio.

Anônimo disse...

Giordano Diniz
Agradeço pela lembrança dos 40. Bela foto, bons tempos!Mas a vida continua e continuaremos batendo outras tantas fotos de momentos inesquecíveis como foi aquela noite. Que o tempo vivido nos fortaleça para suportarmos a carga diária sem perder a diguinidade!!!!