quinta-feira, junho 07, 2007


I

eu vivo num tempo sem sol.
uma linguagem sem malícia é sinal de
estupidez. uma testa sem rugas é sinal de
indiferença.
aquele que ri ainda não recebeu a terrível
notícia.

que tempos são esses, quando
falar sobre árvores é quase um crime.
pois significa silenciar sobre tanta injustiça!
aquele que cruza tranquilamente a rua
já está então inacessível aos amigos
que se encontram necessitados?
é verdade: eu ainda ganho o bastante para viver.
mas acreditem: é por acaso. nada do que eu faço
me dá direito de comer quando eu tenho fome.
por acaso eu estou sendo poupado(se a minha
sorte me deixa, estou perdido).
me dizem: come e bebe! fica feliz por teres o que
tens!
mas como é que eu posso comer e beber,
se a comida que eu como, eu tiro de quem tem
fome?
se o copo de água que eu bebo, faz falta a quem
tem sede?
mas apesar disso eu continuo comendo e
bebendo.
eu queria ser um sábio.
nos livros antigos está escrito o que é a
sabedoria:
se manter afastado dos problemas do mundo
e sem medo passar o tempo que se tem para
viver na Terra;
seguir seu caminho sem violência,
pagar o mal com o bem,
não satisfazer os desejos, mas esquecê-los.
sabedoria é isso!
mas eu não consigo agir assim.
é verdade, eu vivo num tempo sem sol!



Capítulo I - B. Brecht

Um comentário:

ronaldo braga disse...

e O PT fez piorar ainda mais esses nossos dias,pois agora junta a injustiça e a traição e como canta os professores: " Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão" é são tempos complicados o nosso tempo e pior a unica luta que restou é a luta de vc com vc.