sexta-feira, dezembro 26, 2014

A POESIA DE LEONIDAS MOURA


A nuvem e o vento lasso

E pela manhã a relva dança,
é noite em minha mancha;
e a folia de meus cabelos cachos
sobre a grama em minha sombra.

Não sabe o vento
que tudo sonda
e sacode a lâmina,
espelho d’água cristalino.

Rola na areia branca
com a palidez da espuma,
mistura sal, água e duna.
Ida e volta em meus fios
com a poeira norte
e cheiro de algas
do orvalho de mato
que baila no terreiro
onde eu me acho.
Sobe, oh a minha nuvem
que não sabe tempo.
.

(Leonidas Moura)

Nenhum comentário: