quarta-feira, dezembro 29, 2010


Máscara-Foto- Luciano Fraga-2010


GOLPES DE SORTE

Recolhe os frutos

onde finda e inicia

a concepção do meu silencioso

existir...

Espalha as sementes

onde os costumes são ocultos

e minha selvageria

atinge o ápice.

Esparge flores

onde instalo um cavalete

e retrato o reencontro

com minha porção animalesca.

Folhas caem

e as luzes se apagam

quando decido

beijar-me a boca

perante um espelho

para ofegante proclamar:

sou um super homem!

Apodreço;

com uma espada na mão

quando retiro a máscara...


Luciano Fraga

9 comentários:

Braga e Poesia disse...

o nó da lágrima ao cair a mascara desata toda compostura imposta no falso jogo social e denuncia os refúgos, simulacros em arquetipos eternamente repetidos por toda estupidez humana, numa recorrencia infelizmente constante.
É o insistir neurotico paranoico impondo a todos um mundo de necessidades e identidades, o mundo do oco e suas policias e seus politicos. Já houve tempo que artista plastico, poetas, teatrologos e escritores eram inimigos ferozes dessa canalha, hoje podemos afirmar que a canalha descobriu o preço.
Mas caro Luciano e leitores parece que nem todos se venderam.
esse poema revela que ainda existe um tunel para uma luz. Será no fim, será no meio? não sei. Mas posso afirmar que esse poema é um luz.

Devir antes disso tudo disse...

No post anterior, o último comentário "Devir..." não é meu.
Por que quem almeja a fama de Judas reclama a falta de inimigos?
E se enforcam, é bom lembrar.
Sem coragem de arriscar a semente, apodrecem com medo de apodrecer.
Sem máscaras, acreditam que basta ser filho de Deus e, bullyng?, faz da VIDA um apodrecimento lento, recalcitrante e "protetor" do Pai.

porra!!!

Graças ao próximo ano, Luciano

Zinaldo Velame disse...

Mais um belo poema, Luciano!Recebi o presente de Natal que você me mandou, muito bom. Abraço!

Mirze Souza disse...

Belíssimo, Luciano!

Esse ficará para história!

Obrigada pelo lindo e único presente!

Beijos

Mirze

BAR DO BARDO disse...

Muito bom - do meu agrado!

2011 Supimpa, Lu!

Ana disse...

BLZ luciano,

Hum...onda após onda a vida segue,
é tudo oceano do todo.
É presciso navegar pela vida com sabedoria e equelibrio.
No fluxo e reflexão dos mares ,cada ser aprende oque é preciso.É para quem sabe ver com o coração,tudo é lição.
Na verdade... tudo passa,tudo muda!
Há dia ensolarado e, outros chuvosos e..a vida segue por diante.
Há amor que governa a toda existência,além da medida.
I esse amor não tem nome.
"está em tudo"
Ele é que gera toda luz!
É incondicional...é "PREMA".

Nada mais á declará,ou melhor comentar.

PS: delicioso poema... seu.

Sempre,
Ana Lgo.











.

Luciano Fraga disse...

Aos amigos, peço desculpas pela falta de tempo para os coments, as atribuições tem-me superado, obrigado, abraço para todos.

guru martins disse...

...grande
este teu descabido
encalço mítico
e transcendental...

abç

Reflexo d Alma disse...

Passando pra conhecer..
depois volto
com calma...