sexta-feira, outubro 02, 2009

SÉRIE- SANGRO

Fotografia-Márcio Carneiro-2009



A MÃO QUE AMASSA O TRIGO


Estou pronto

(sei que não),

mas não afirmo.

Estendo os braços,

exponho as veias

escuto o canto

esmorecido

vindo do lago das contradições.

Vem com um zunido branco

como um vício consagrado,

um hiato dentro do líquido,

um silêncio perturbado,

gritos das hienas e carrapatos

que abrem os sorrisos

ao largo do ventre maternal,

sinto o empurrão,

ouço um sussurro

quase um estampido,

vai, vai, vai, vai...

Não me restou opção,

senão renascer...


Luciano Fraga

34 comentários:

Adriana Godoy disse...

Queria estar presente nesse momento tão mágico e especial. Lindo poema que vai nos levando ao êxtase final de uma forma intensa e doce. Você é um poeta e tanto, Luciano, sabe colocar as palavras de um jeito tão único que envolve sem forçar...Beleza. Hoje você foi a minha fênix. Beijo.

Mirse Maria disse...

Lindo Luciano!

Um poema e tanto, que sacia!

Parabéns, amigo!

Beijos

Mirse

Devir disse...

Deadly dream of freedon, Triunvirat

A natureza é sábia, a humanidade compete, mas nunca ganha, graças a Deus, amém!!!

Um dos competidores mais notáveis da história foi Aristóteles. Um de seus melhores embates, deu-se na sua teoria do movimento.
Onde matéria-forma produz o ato-potência.

Eu sempre distorço os gigantes; são torcidos para que tenham compaixão igual aos "anões":

Matéria sem forma se limita ao ato sem potência.
Forma sem matéria inventa a potência "virtual".

Óbvio que isto carece um exemplo, para que a causa da vida permaneça:

Um poeta escreve um poema -
causa material: papel e pena
causa eficiente: o poeta
causa formal: o poema
causa final: o motivo e a razão
- ou seja, a causa material é aquilo DE que uma coisa é feita; a eficiente é aquilo COM que a cisa é feita; a formal é aquilo QUE a coisa vai ser; a final é aquilo PARA o qual a coisa é feita.

Tudo isto era a toda substância!!!

Atualmente, e lentamente, uma "nova" substância ganha o estatuto de real, portanto, que tem sua origem irrecusável na matéria: O SONHO.

Há pouco tempo, La Boetie nos alertou dos perigos dessa incrível
matéria!!!

Grande abraço

Marcia Barbieri disse...

Sempre é bom renascer....

beijos ternos

Luciano Fraga disse...

Adriana, lembrei bastante de você,rolou umas poesias, uns duetos com o amigo Nelson Magalhães Filho, uma misturada de versos,regada com o viloão de Zinaldo Velame e a guitarra de Ian Ferreira jogando um fundo de blues na parada, você cairia no embalo com seus poemas de fuder, foi uma noite "suja", o cão uivou, os tigres avançaram, tudo de bom mesmo,coração batendo, abração.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

O ventre que carrega o sopro da vida sempre renova.

Que lindo, poeta amigo.

Noite de luz!

Rebeca

-

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga,a poesia em qualquer situação é alento, alívio, mata a sede, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcia,parece-me que o renascimento é um reencontro consgo mesmo, a volta, um reencontro com algo novo, abração.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir, embora todas as lâmpadas permaneçam acesas, todas as lamparinas também, o cego permanece no escuro? Ou ao contrário, tudo apagado para um certo alguém que enxergue, tudo estará às claras? Todo mundo é um ninguém quando mata o sonho, inversamente quando materializado ganha substância, sentido, talvez razão, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Rebeca,sempre uma esperança num renascimento,em cada instante, em cada momento que experimentamos em nossas jornadas diárias, dias de paz, abraço.

Ana disse...

Olá Luciano,
É.. realmente esse poema é muito
bonito,sentir na pele.
É muito bom renascer...
abraçoss á vc lindo!
Ana LGO.

Braga e Poesia disse...

fraga sua poesia é pro futuro, hoje a mediocridade não permite ver a sua poesia. e a cada dia ela cresce.

Anita Mendes disse...

essa hemorragia poética e o vermelho que "sara" te lava novamente... te faz ser um novo homem!
belo caro, lu!
nas tuas veias acho que pulsam poesia em vez de sangue.(rs)
beijocas...

Zinaldo Velame disse...

Mais um belo poema, Luciano! As palavras estão se multiplicando na sua mente e tornam-se belas escritas. Abraço!

Braga e Poesia disse...

poema da duvida
eu busco a palavra certa
para saturar a minha dor,
e busco
na dor certa
o mundo de um poema.

o meu poema
em verso torto
chora toda certeza

e
soletra a mentira
em garrafais gestos de carinhos.

ronaldo braga
postado no bragas e poesia

Henrique Pimenta disse...

gostei bastante, luciano.

e o sabor é fortíssimo!

renasce em alas n'alma...

Luciano Fraga disse...

Amigos, demorei um pouco, estou com problemas na net, Abraço.

Luciano Fraga disse...

Ana, renascer é como a muda de um pássaro, de uma cobra, voltamos com alma nova, abraço.

Luciano Fraga disse...

Caro Braga, dedicamos a eles assim mesmo,muitas vezes a ignorância é a vencedora,em outras, sempre, abraço.

Luciano Fraga disse...

Anita querida, o tempo do nosso verbo exige hemorragias...Amanhã é o grande dia, não esqueci não, beijo.

Luciano Fraga disse...

Zina, vamos caminhando, e você cantando, mandou bala e belo lá em Tura,seu lançamento vai ser dalquilo em diante, muito bonito, abração.

Luciano Fraga disse...

Braga, não pude conferir por problemas com a net, vou lá, abraço.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Pimenta, vindo de ti mestre, estou devendo visita, problemas na net, um porre,obrigado, abraço.

pianistaboxeador21 disse...

Legal velho. De qualquer forma continuamos. é a vida. e a vida é mesmo louca, nénão?

Luciano Fraga disse...

Daniel,sem sombras de dúvidas. valeu, abraço.

Devir disse...

"Entre razões e emoçôes dessa vida"

A razão enxerga o que a outra se recusa ou pede tempo

A emoção enxerga o que a outra
tem de melhor e pior, confunde e
importa ou exporta a luz e o escuro

As outras, seja na mulher, seja no homem
é sempre motivo de hesitação ou rss
de pular de cabeça

O equilíbrio é sempre virtual
acontece no normal devir e
irrecusável no devir louco

A diferença - farei um post sobre o tema do devir louco - tanto depende da luz quanto da escurudão.

Grande abraço, Caro amigo Luciano

tania não desista disse...

oi, luciano! que bom ... nos surpreendemos !
o medo vem...derrama seu conteúdo sobre nós! _lentamente, superamos.
_delicadamente,revemos nosso caminhar...voltamos a planejar...a querer "vida" longa...a continuar na mesma estrada,ou noutra.
_depende de nós!
bom,luciano! a vida sorri para você!
bjo
taniamariza

ps: demais, seus diálogos ,com devir! aplausos aos dois!

guru martins disse...

...é isso aí
cumpadre, és
um eterno
escomunado
a vida só te
deu a passagem
de ida...

aquele abraço

Cosmunicando disse...

vai, vai, vai poeta!
que maravilha...
estou colocando minhas leituras em dia... voltando aos poucos.
amei seu poema, renascer é o que nos resta.
beijos

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Devir, estou com problemas de net, assim estou sendo breve, espero este devir louco, acho até que ele já chegou, abraço.

Luciano Fraga disse...

Tania amiga, sempre somos surpreendidos, não existe precauções para tal, assim muitas vezes o medo prevalece, a vida é enfrentamento, renascimento,corrida pelo novo.O amigo Devir é um intelectual que muito admiro e considero, aprendo e muito com ele,dessas figuras que vale a pena ficar perto, engrandecedor, assim te apresento, você vai gostar, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Guru,gostei dessa, mas depois onde será que vou ficar? Responda-me velho guru, abração.

Luciano Fraga disse...

Cosmunicando,é assim mesmo, as atribulações desta vida, nos afasta um pouco, mas tudo certo,muito bom amiga o seu retorno,felicidades, abraço.

guru martins disse...

...quando eu
chegar lá
prometo que
te dou um toque...

abrç