sexta-feira, agosto 14, 2009

ENQUANTO ASSISTO DE PALANQUE


Sagrado Coração de Jesus-S.Dalí-1962-óleo s/tela


QUAL É A SUA OFERTA,AMÉM...?


“Jesus não tem dentes no país de banguelas...”



E nesta guerra antiga de poder privado Globo/Record onde estão em jogo: religião, estado, mídia, vejo algo em comum no meio da lama, digo melhor do dízimo: povo e rebanho usado.Sabe-se que as religiões sempre foram parceiras do estado, vide ações da Santa Igreja a partir de Roma e em toda a Europa, ainda hoje fortunas são arrecadadas para a implantação e manutenção de impérios, sobretudo midiáticos.Nada contra os religiosos(no caso específico os Cristãos), suas opções e formas de adorar, há muito que sou avesso a tais instituições(isso pouco importa),mas é preciso distinguir religião de religiosidade.O que espero é não receber num futuro (que é agora) gratuitamente uma “galinha pulando” vinda de um destes exércitos fanáticos(ditos “de CRISTO”-carregando a bandeira da verdade),como fruto de uma guerra que não financiei, não ajudei a financiar e jamais participarei,A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA.
Enquanto as águas vão rolando e o pão sendo repartido, ou melhor, a grana vai passando de mão em mão pelos pastores, bispos milagreiros e genéricos, ELE, descansa em seu trono passivamente a espera da sua parte, sabendo que o buraco é mais embaixo.
DEUS É FIEL! Em nome de...




Luciano Fraga

24 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Panos & mangas...

Luciano Fraga disse...

Amigo Bardo, quero apenas me previnir,mas nada de panos quentes, abraço.

pianistaboxeador21 disse...

Pois é. Continuo na minha. o povo não é coitado, todos temos culpa. Talvez a educação mudasse alguma coisa. Ando cético quanto a isto. O futuro parece negro.
abraço

Mirse disse...

Acho que a consciência religiosa, já chegou. E não só em você, Luciano.

è ridículo demais, mas abrange uma faixa grande de pessoas que sem cultura, apelam para tudo em nome de "JESUS".

Fique tranquilo. Sou cristã, mas não entro nessa paúra. Nem à igrja frequento, porque enoja. Não foi esse o plano ou a mensagem deixada por Ele.

Beijos

Mirse

Vinícius Paes disse...

Disse tudo, amigo. Em nome de deus, meu povo, desligue a tevê. Tradições, empresas, ganância.
Como diria um homem mais sábio que eu: 'é preciso fé cega e pé atrás'.

Abraço.

Luciano Fraga disse...

Daniel, a palavra chave é a educação, as pessoas continuarão seguindo seus caminhos, poém com uma outra visão, forte abraço.

Luciano Fraga disse...

Mirse amiga, ao escrever o meu texto, que considero apenas um comentário, uma breve opinião, não tive a presunção de mudar ou desmerecer as opções das pessoas(você entendeu bem), apenas uma preocupação com algo(religiões) que pode nos trazer conforto espiritual, transforme-se num caminho de odiosidade e intolerância,por falta de informações ou cultura(como você disse bem).Você está super correta, também não frequento igrejas, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Vinícius, tava sentindo sua falta,já o outro diz:'Fé cega e faca amolada...". Manipulação, conservadorismo, mentiras, "fé cega e faca amolada...", cortem os cabos e tomadas, desliguem as tvs, abraço.

Lord of Erewhon disse...

Olhe, caro Luciano, essa é a doença maior de nossa civilização comum. As minhas posições políticas são incompreensíveis para muita gente aqui em Portugal (monarquista a querer limitar poderes da Igreja não é comum).

A questão é politicamente clara: toda a Igreja deve ser afastada do espaço público cívico, ou seja, a sociedade é laica e, como tal, as religiões não podem nem ocupar cargos públicos nem interferir nesse espaço, nem na política, nem na jurisprudência e, digo mais, nem nos costumes!

As religiões são «clubes»... cada qual entra nos que quer, e depois há algo que se chama uma sociedade moderna e livre.

Mais: as igrejas têm que pagar impostos, e suas finanças passadas por crivo fino. Nada pode ser opaco ao estado de direito... É por isso que precisamos de «democracias fortes» e não dessa porra de corrupção e alienação em que todos vivemos...

Abraço!

Luciano Fraga disse...

Meu caro amigo Lord,a Igreja monopolizou o ensino e o conhecimento restringindo-os aos monges,limitou a vida intelectual aos mosteiros, então a sua atuação sempre foi execrável.Sempre foi aliada do Estado e assim com o corporativismo implantado com as bancadas, os Impostos nunca serão cobrados em função da atuação paralela(manter o rebanho amansado).Segue uma quase oração:
" Agradeço essa injustiça, essa afronta que me despertou e cuja sensação viva lançou-me para longe de sua causa rídicula,dando-me também tamanha força e tamanho gosto por meu pensamento que, por fim, meus trabalhos tiveram o benefício de minha cólera; a busca de minhas leis tirou proveito do incidente..." Forte abraço.

PS- recebi o material(email), em breve publico.

Lord of Erewhon disse...

Tudo isso tem que ser combatido; tudo o que é sistema de alienação, tudo o que corrompe os povos e afasta o Estado do povo. Nessa matéria, meu amigo, eu sou marxista tout court!

Presídio com todo o pseudo-sacerdote, falsário e parasita, que explora a ignorância dos povos, em benefício próprio, lhes infundindo mais ignorância, medo, sofrimento e alienação!

Um forte abraço.

guru martins disse...

...quebra tudo
meu compadre!!

abraço

heraldo disse...

Toda vez que leio ou converso sobre religião lembro das frases Karl Marx:
" A religião é o ópio do povo e o suspiro dos oprimidos".
"Quando mais o homem põe em Deus mais ele tira de si".

Dessas afirmações se extrai: a alienação(atribuir elementos humanos ás coisas criadas por eles mesmos)e uma falsa consciência "falsa" da realidade, qual seja: a ser produto único da atividade humuna.

No tocante a esse escândalo ele é produto da mercantilização da fé. As igrejas, no atual quadro, são empresas disputando o concorrido mercado da fé e dos fiéis.

Grande Abraço
Heraldo Fraga

heraldo disse...

Ops!! o segundo parágrafo deveria ser assim:
Dessas afirmações se extrai: a alienação( atribuir ás coisas ou entes elementos humanos)e a não compreensão de que a realidade é produto da atividade histórica dos homens e não de um ser maior que determina tudo e todos.

Lord of Erewhon disse...

Contudo, penso que não se deve ceder à tentação de um certo ateísmo militante que sempre pretendeu destruir o cristianismo, por duas razões, a primeira de prática política, a segunda de responsabilidade civilizacional:

1. Perseguir igrejas só as reforça (a História nisto dá uma grande lição);

2. Não se deve destruir nada na civilização enquanto não se tiver algo melhor para substituir.

Luciano Fraga disse...

Guru amigo, vamos quebrando com idéias e pensamentos, no verbo, abração.

Luciano Fraga disse...

Lord,concordo plenamente, não podemos combater ferro com ferro, o grande problema são as formas equivocadas(maliciosamente) como os falsários e sugadores conduzem e exploram a ignorância, abraço.

Luciano Fraga disse...

Heraldo,sábias palavras, o que assistimos hoje é uma verdadeira proliferação de supermercados da fé, com ingredietes de mentiras e curas para todo gosto nas prateleiras.É preciso cuidado com o materialismo espiritual(lembra?),então concordo com nosso amigo Lord, não se pode sair por aí fazendo o que os chineses fizeram com o Tibet, por exemplo, abração.

Devir disse...

O que se abomina na TV é o mesmo que se abomina na sociedade!!!
O que se abomina nas Religiões é o contrário do que se abomina na civilização!!!
Usar a mídia ou a religião para fins de lucro, desde que seja meios lícitos, é civilização.
Fazer mídia com religiosidade e da religião um instrumento midiático, desde que seja para o bem de quem as procuram, é sociedade.
Quanto ao eterno da disputa do forte contra o fraco, quando este encontrou um meio - atenção: lícito ou não - para sobrepujar a força daquele, os incomodados dentre os espectadores, ou se retiram ou mostrem as provas, de preferência irrefutáveis.
Pertinente ao "novo" escândalo entre a tvglobo e a tvrecord, se a questão for simpatia pessoal, prefiro não comentar aqui(!) no seu blog, Luciano, porque justamente a questão do lado pessoal não é levada a sério. Tem um exemplo capcioso nestes comentérios que serve de exemplo:
Alguem falou em nome Dele, contra Ele, ao dizer que usam Seu nome como apelo para tudo. Talvez, para salvar a humanidade, ou quem ou o que quer seja, se este assim quisesse tal ignorância da vida, com tal pensamento vulgar, jamais pediria a Deus(Pai) para afastar os cálices; como tão bem faz as religiões sem religiosidade e as mídias com religiosidade.
Quanto aos aspectos histórico/jurídicos, voce tem razão, são farinha do mesmo saco de arrecadação, porém a tvglobo dá novamente bandeira que seu saco está cada vez menos cheio. Gostei de uma fala do Edyr Macedo, hoje na reprise da resposta jornalística da tvrecord, "a tvglobo está preocupada com SEU futuro". Assim como sempre fêz, a exemplo temos algo inapagável: beijar a mão em público(!) dos piores ditadores que já posaram porraqui. Por que a exclamação? Oras, por questão, pelo menos, de responsabilidade e respeito aos outros.

Luciano Fraga disse...

Amigo Devir,referir-me a guerra privada,disputa entre dois grupos empresariais, sabemos não ser uma guerra Santa,nem de Santos,uma delas sabemos a origem de boa parte dos investimentos, a outra passou toda vida pongada nos "beiços",ou melhor gozando da benesses do Estado(ditatorial por sinal),basta vermos as concessões(os grupos), o funcionamento da ANATEL, etc.Eles(ambas) tem cura para todos os males,pois manipulam, exceto para ignorância, no mais você bem que conhece e de montão mestre,cruz/credo, abraço.

Anita Mendes disse...

lu, desculpa a demora... tava meio distante da net esses dias.
o ópio do povo é o que ele quer que seja, Deus no ceu e o inferno na terra ... dopados pela esperança a cegueira se torna branda . quando não se tem resposta para as fatalidades da vida o melhor é não encontrar uma . sofrimento é o preço do paraíso ...
e isso realmente me deprime!
acho que vou pra igreja ...(rs).


beijos enormes, lu.
Anita.

Lord of Erewhon disse...

Os media de maior influência sociológica (e estes são as diversas estações de televisão), devem ser explorados por privados, sem nenhum controlo do Estado? - penso que esta é a questão.

Questão difícil, porque implica valores fundamentais, como a liberdade e o direito à criatividade e livre opinião. Mas não sejamos ingénuos: a televisão há muito que se transformou em simples «máquina de lavagem ao cérebro», com quase nenhuma criatividade (no Brasil a telenovela matou o cinema brasileiro de qualidade) e a maior parte da informação é manipulação intencional dos factos, ao serviço de interesses vários, empresariais, políticos, religiosos, de grupos vários, nacionais e internacionais.

A democracia só o é enquanto o Estado permanece independente dos interesses particulares da sociedade, conservando na sua independência e isenção o interesse do colectivo de uma nação. Se assim não é... não há democracia.

Se os media não servem esse interesse colectivo, apenas sendo a arena em que interesses particulares disputam a carne do povo... então são inimigos da sociedade e, como tal, o Estado tem a obrigação de classificar esses interesses egoístas na ordem dos crimes! E é o nosso dever de cidadãos combatê-los e denunciá-los.

Um estreito abraço, Luciano, e um abraço para todos os amigos Brasileiros.

Zinaldo Velame disse...

Bom texto, Luciano! Muita lama vai aparecer por esses dias, é só esperar. Abraço!

Devir disse...

Esse é o caminho, discutir em nome do público, independente de classes - quando nenhuma dessas é conivente.
Ambas, record ou globo, não querem ser para um público como contrário do privado, mas sim para um público como audiência.
Então surge um problema muito grave, porque a audiência "não foi" obrigada a escolher.
Claro que sabemos que a alienação não surge do nada, é o coelho "certo", que pessoas "certas",ou classe "certa", retiram da cartola "certa".
Quem são os responsáveis pelo estado currupto, economico e moral, de ambas, os donos, mas, além do crime de natureza economica, jamais poderão ser culpados.
Chover no molhado! Eu sei, todo mundo sabe, mas parece que não sabemos como deter tal processo, além de selecionar as atrações de tal circo.
Muita gente "culta" apenas finge tal seleção; conheço várias que roem as unhas a torcer pelo galã principal, sem usar seus conhecimento para entender o contexto real, histórico e moral.
Que arruinou o cinema, podemos concordar com o Lord, em termos, porque as TVs nos países que possuem uma indústria cinematografica, é tão ou mais forte que as nossas.
Eu aposto em chamar a atenção do indivíduo, como disse diversas vezes, ignorar egos e audiências, ou particularidades e coletividades.
É que se vê, tanto na TV quanto no Estado, eus particulares ou grupos particulares disso, daquilo...
Qual a consequência disso? A mais completa cisão dos conceitos de indivídualidade e sociedade REAL.

Amigo