sábado, junho 06, 2009

Natureza Morta-Márcio Carneiro-2009


EMERDERÃ



Sou um sujeito suspeito,
emergido
do século XIX.
Não sou um bárbaro
nem um tortuoso
e pacato cidadão.
Não sou o tártaro
em sua boca
e minha predileção
coreográfica
é aquilo que o seu olhar
detém...
Sou menino na euforia
de quem acabara
de espalhar um milheiro
de sementes pelo chão
apesar do convívio diário
com sintomas vivos
de negação.
Assim,
quando a única árvore
espinhosa
que por certo vingará
jamais me atreveria
alcançar
o que teus olhos de vastidão
pensariam
ao me avistar ébano,

feita carvão...




Luciano Fraga

29 comentários:

Herculano Neto disse...

A poesia emana simples nestes versos e encontra refúgio na natureza morta da imagem: a única árvore espinhosa.

Adriana Godoy disse...

Luciano,
"jamais me atreveria
alcançar
o que teus olhos de vastidão
pensaria
ao me avistar ébano,
feita carvão..."

Belíssimo, poeta, me tocou muito, é o que posso dizer. Beijos.

marcio mc disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marcio mc disse...

Assim quando a única árvore espinhosa...Magnífico.

Obrigado pelo espaço no versos&perversos.

ronaldo braga disse...

imagens marcantes retas delirantes marcadas nos olhares mudos e surdos de uma relação tão contraditoria.
o que amamos?
temos uma unica arvore e dela temos que fazer o mundo na solidão de nossas vestes.
fraga a sua poesia inspira delirios, inspira o arriscar, inspira o criar e impede o pensamento linear e obvio de um socrates. heraclito ainda respira esses ares. a sua poesia vida nos presenteia com o movimento com as mundanças e com as afirmações.

Anita Mendes disse...

"Sou menino na euforia
de quem acabara
de espalhar um milheiro
de sementes pelo chão"

a mescla de inocência e rebeldia fazem dos teus poemas algo diferente .
muito bom tudo isso por aqui!
beijos pra ti, lu.
Anita.

Devir disse...

Flor de cactus
Flores de plástico
Flores de carvão

Em sologismos
os ecos mais escondem
do que apontam
a direção

Impossível possível
porque vida

Grande poeta
Luciano

Guru Martins disse...

...simplesmente
muito bom, cumpadi!!

aquele abraço

Zinaldo Velame disse...

Bom demais! O poeta continua afiado. A cada poema um novo achado: "...não sou o tártaro em sua boca e minha predileção coreográfica é aquilo que o seu olhar detém...". Abraço!

On The Rocks disse...

d. luchiano,

tô sem internet em casa, por isso a ausência.

suas poesias continuam matadoras!

buenas!

Siegrfried disse...

Belos versos.
Uma explosão de poesia sintomática!
Gostei imenso Luciano!
Obrigado por comparecer para prestigiar minha querida Byazinha!

Luciano Fraga disse...

Herculano, valeu amigo,obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Adriana, muito bom, então amiga, isso quer dizer que o danado(poema), cumpriu a missão, abração.

Luciano Fraga disse...

Márcio, os méritos são pertencentes a VSa. muito forte e real a fotografia, abraço.

Luciano Fraga disse...

Braga, a tônica da vida, a lei básica é a mudança, movimento desuniformizado e sem velocidade constante, abraço.

Luciano Fraga disse...

Anita, vamos tentando misturar sentimentos e indignações, obrigado, abração.

Luciano Fraga disse...

Devir, as vezes, apenas as vezes "a vida parece uma festa", mas só cinzas é o que nos resta, abraço amigo.

Luciano Fraga disse...

Guru, simples mesmo mestre, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Zina, vamos tentando amolar o velho canivete e a paciência de vocês, abraço.

Luciano Fraga disse...

Buenas, já estava mesmo sentindo sua falta, grande abraço.

Luciano Fraga disse...

Siegrfried, não há de que amigo, prestigiar a Biazinha e também o seu espaço,será sempre, sempre mesmo uma honra pra mim, abraço para ambos.

tania não desista disse...

somos seres...em mutações constantes ...torcendo pela sombra de uma árvore amiga..espinhosa ou não... poema de emoções...lindo!
abs
taniamariza

Marcia Barbieri disse...

"Sou menino na euforia
de quem acabara
de espalhar um milheiro
de sementes pelo chão
apesar do convívio diário
com sintomas vivos
de negação." vivemos tentando superar as negações, sorrir apesar da dose diária de não.

beijos sempre ternos

Luciano Fraga disse...

Tania, isso mesmo, não podemos parar nossos corações, obrigado, abraço.

Luciano Fraga disse...

Márcia, somos um complexo vitamínico de dualidades e nossa luta é unificação do ser, será que conseguiremos? Beijo.

Devir disse...

"A Natureza é um templo onde vivos pilares

Podem deixar ouvir confusas vozes: e estas

Fazem o homem passar através de florestas

De símbolos que o vêem com olhos familhares.


Como os ecos além confundem seus rumores

Na mais profunda e mais tenebrosa unidade,

Tão vasta como a noite e como a claridade,

Harmonizam-se os sons, os perfumes e as cores."

E, por que não?, As flores do Mal,
de Baudelaire.

Contexto contestaria com
Drummond, A flor e a Náusea
mas revalente relevante não
cravararia na cavalaria sequer
uma seta meta fora nesta hora

Aquele abraço

Luciano Fraga disse...

Caro Devir,Belo!(não aquele). Ouvir confusas vozes, que se confundem com nossas nozes ou com nossos nós desatados pelo avesso e presos às rédeas desta cavalaria, grande abraço.

Zana Sampaio disse...

...mais um "eu todo retorcido"...que canta de outras maneiras as viceras do que queria dizer...
muito bom!

Luciano Fraga disse...

Zana,o que queria dizer vem de uma atmosfera de carvoeiras com uma canção arrastada de morte...