terça-feira, setembro 23, 2008

MISONEÍSTAS


Ninguém conhece
quando o raiar comestível
da maioridade da vida
desponta furioso
cutucado pela vara curta
daqueles que se dizem
vitoriosos.
Previ a ruína dos insetos noturnos
que cochilavam iludidos
com o grito lastimável
dos consoladores,
mandei o aviso:
aparem as barbas
de papai Noel provisório,
rasguei os medos em pedaços
para esculpir a caricatura
do meu coração tenebroso.
Estupefato,
imprimir códigos
implícitos no metal
escondido do vinil,
urrei sustos de poesia...
No ostracismo do manguezal
as ostras exibem suas pérolas
pelos espantados olhos de porco
decapitado em Taturanas...
O casulo já não comporta
e nem acalenta insetos velhos,
então,
tratem de instalar suas moradas
em lâmpadas infundadas
enquanto prosseguimos a missão
de coleópteros carnívoros...


TATURANAS- vídeo de Nelson M. Filho anjosbaldios.blogspot.com
Luciano Fraga

4 comentários:

Marcia Barbieri disse...

Amei a poesia, gostaria de ter elegido alguns versos,mas não consegui. Sempre imagens perfeitas, ou melhor imperfeitamente humanas.

beijos

biazinha disse...

Gosto de ver o nervo exposto e sem glamour exposto poeticamente, e fazes isso de forma retada!
Cadê o Márcio?Foi preso? Sequestrado por uma cabrocha ou se afogou num barril de pinga?

Beijos.

Luciano Fraga disse...

Biazinha, acho que nenhuma destas alternativas, talvez esteja orando por nossa salvação, se é que temos jeito(rs), já ele estará de volta, beijos.

Luciano Fraga disse...

Márcia, grato, suas palavras são injeções de ânimo, beijo.