domingo, julho 29, 2007

Hoje 30/07/07 aniversário do artista plástico Nelson Magalhães Filho a quem dedicamos o poema.


MORTE NUM CANIL- CRUZALMENSE

“... melhor acabar assim, longe da maldição antiga de transformar-se
em animal ou árvore, tornar-se boi que muge, serpente que se arrasta,
seixo eterno, chafariz a chorar...”

C. Pavese.

Prostrado
sobre teus
ermos mantos
observo o encanto
do cão lambendo-me
as sagradas chagas
despostadas
do meu couro
cabeludo
que serve-lhes de condimento
como
folhas-de-louro...
São duas metades
doentes:
Uma, adormece
e sonha.
Outra, desperta
apodrece
na carcaça da aurora
que fenece
em testículos dementes
restritos à míseros
segundos de gozo
num céu híspido de lenhas
que ardem em cicatrizes
reabertas
por dragões
e outras versões
de lãs
diluídas pelo vento
fecundo
quando defloro
o sadismo complacente
aguço o faro
do raivoso animal
que arranca-me com a língua
o esmalte dos dentes
até a substância
visceral...

Luciano Fraga


2 comentários:

Nelson Magalhaesfilho disse...

Valeu pela homenagem. Obrigado Buenas, e um abração.

Zé de Rocha disse...

Oi, Luciano
Tá liberado, companheiro - sempre esteve! Pode publicar as imagens que quiser emseu Blog. Fico muito lisongeado!
Adorei a homenagem a Nelson!!!
Um abração